quinta-feira, 31 de julho de 2014

A Roda da Vida - Lama Padma Samten

A Roda da Vidaroda-da-vida-templo-cebb-viamao
A roda da vida numa das paredes do templo do CEBB em Viamão (foto minha - meio fora de foco - rs - clique pra ampliar)

Seguem minhas anotações do que Lama Padma Samten ensinou durante o retiro de inverno 2014, no CEBB Viamão, RS


Do centro da imagem para fora:



3 animais:

  • Javali - ignorância - que gera:
  • Galo - apego - que gera (quando ameaçado):
  • Cobra - raiva

6 reinos:

- Reino dos Deuses - Ideal do samsara. Viver como reis e imperadores. Tudo de bom (topo na imagem). Para o budismo, aqui ficam Brahma, Vishnu e Shiva (deuses que, respectivamente, mantém e dissolvem ilusões do samsara) e o jardim do éden cristão. Emoção principal: orgulho.

- Reino dos Semideuses - Invejam os Deuses. Disputa. Tentam sempre alcançar o que os Deuses possuem. No mundo, tecnologia, ciência etc. Perseverar dentro do samsara.  Olho do bom senso e da causalidade aprendido no mundo.

- Reino dos Infernos - Muitas variações de raiva, dor e tortura (abaixo na imagem).

- Reino dos Seres Famintos - Carência. Aspirações impossíveis de realizar. No nosso mundo (samsara), crescente limitação de recursos.  Em expansão, com os problemas ecológicos.

- Reino dos Animais - O reino animal. Preguiça. Impossibilidade de sair de avidya. No nosso mundo, em diminuição, com os problemas ecológicos.

- Reino Humano - O mais favorável porque nele há os ensinamentos e a chance de iluminação. É muito pequeno. "Somos cegos porque vemos." (Buda) Notar a raridade de um Buda surgir aqui. E de o Darma nos tocar. Buda Sakyamuni é o quarto buda histórico. O próximo é Maytrea. Reino caracterizado pelo planejamento por etapas  para obter resultados, mas limitado pela impermanência, falta de controle e sofrimento. Falta de sentido.


12 elos (compreensão importante para Prajna):

“Quem tem ignorância termina tendo marcas mentais, quem tem marcas mentais tem um embrião de identidade, quem tem um embrião de identidade tem aspirações, que tem aspirações termina gerando um corpo, quem tem um corpo gera contato com o mundo a partir do corpo, o contato com o mundo a partir do corpo leva à experiência de gostar e não gostar, gostar e não gostar leva ao apego e ao desejo, desejo e apego levam a sucessos parciais, esses sucessos parciais levam à noção de nascimento, o nascimento leva à ação no mundo, ação do mundo leva à morte.” –Lama Padma Samten

(Os 3 primeiros são os mais importantes)

1- Avidya: Ignorância. Separação entre observador e objeto. Dualidade irreal que criamos. Surgimento da mente. Velho com bengala na imagem.

2- Samskara (Samsara): Marcas Mentais (skara=cicatriz). Operar a mente a partir da dualidade criada por avidya. Olhar o mundo conforme os hábitos. Mundo interno. Depende da memória (memória não neural, pois ainda não há corpo, apenas no nível sutil). Pessoa moldando barro na imagem.

3- Vijnana - Autoconsciência. Representação: macaco (sem lucidez) pegando frutos - mente aleatória se movendo na direção do que a atrai, impulsos. Surge o embrião do eu (quem escolhe), sem materialidade.

4- procura de algo que dê ancoragem ao eu. Aspirações por aspectos grosseiros para tal. Contato do mundo sutil com o grosseiro.

(...) Veja nesse post o resumo que fiz de todos os doze elos da originação dependente

Nascimento. ... Contato (éter). Quero / não quero - mente binária. Responsividade. Gera desejo e apego. Gera identidade. Gera uma forma de ser no mundo. Morte.

(Na imagem quadro da roda da vida: morre por um dente de Maharaja e nasce pelo outro.)

"A morte depende da sensação de estar vivo. " (Buda) Morte associada a como a pessoa se vê vivendo. Ex. Perder o emprego ou namorada. Vida construída sobre avidya.  (Eu sou ... e já nasci pra isso)


Imagens fora da roda: Simbolizam a perda de tempo de pessoas no samsara que não aproveitam a vida humana preciosa para praticar (jogando videogame ou dançando).

P.S.: Palestra maravilhosa da Jeanne Pilli sobre A Roda da Vida no CEBB Fortaleza, em 08/10/2015.


Nenhum comentário:

Postar um comentário